Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

Como montar um MVP para a sua startup: 5 dicas essenciais para construir o seu Mínimo Produto Viável

11-05-Como-montar-um-MVP-para-a-sua-startup-5-dicas-essenciais-para-construir-o-seu-Mnimo-Produto-Vivel
Tecnologia e Negócios
Segmento:

Como montar um MVP para a sua startup: 5 dicas essenciais para construir o seu Mínimo Produto Viável

Neste artigo, você entenderá como montar um MVP é importante e conhecerá algumas dicas fundamentais para construir o seu e validar a sua startup.

Muitos negócios falham durante o seu primeiro ano de existência. Os motivos são variados, mas incluem questões legais, modelo de negócios ruim, concorrência acirrada, falta de investimentos e mercado mal analisado etc.

Com base nas informações divulgadas no estudo Inside Venture Capital, criado pela empresa de inovação Distrito, apesar de, nos primeiros meses de 2022, cerca de US$ 1,36 bilhão terem sido destinados a startups brasileiras, em média 90% delas fracassaram durante este percurso.

A boa notícia é que é possível prever e prevenir alguns desses problemas, evitando que o seu negócio faça parte das estatísticas negativas de sobrevivência no mercado. Quer saber como? É sobre isso que vamos falar.

O que é MVP?

O termo MVP (Minimum Viable Product ou produto mínimo viável)  é uma metodologia popularizada por Eric Ries com o objetivo de não desperdiçar tempo, dinheiro e recursos e está diretamente ligada aos conceitos de Lean Startup

Antes de mais nada, é preciso destacar que, atualmente, existem diversos frameworks/estruturas para se criar um MVP, mas aqui abordaremos o proposto por Patrick Vlaskovits no livro The Entrepreneur’s Guide to Customer Development

Patrick Vlaskovits – Livro The Entrepreneur’s Guide to Customer Development. Crédito: David Tarver.

Segundo Vlaskovits, o MVP vai muito além da sistematização de um negócio, o seu uso permite que haja realização de testes em protótipos de produtos antes do seu lançamento e, assim, possibilita, através dos feedbacks dos clientes e de possíveis ajustes, a assertividade na construção de um negócio sustentável. 

A construção de um Mínimo Produto Viável deve ocorrer quando um produto ou serviço ainda não está em estágio final, mas já não pode ser considerado inacabado, e sim uma versão mais enxuta capaz de ir ao mundo real e ser testado pelos seus consumidores. 

Dessa forma, a empresa tem a possibilidade de reduzir custos, entender se o produto precisa ser melhorado antes do seu desenvolvimento final e, até mesmo, saber como o público está reagindo a essa solução. 

Essa etapa de testes é extremamente estratégica e permite que haja coleta de informações, validação ou não da solução, e possibilita a visualização completa das reações do mercado e da concorrência em relação ao produto ou serviço ofertado. 

Caso haja uma resposta positiva após essa análise, a empresa também consegue notar quais são as lacunas enfrentadas, possibilitando o aperfeiçoamento prévio e garantindo maior aceitação e margens de lucro, já que o produto consegue ser lançado em uma versão mais otimizada e personalizada.Vejamos na prática como isso acontece.

3 Cases de MVP’s bem-sucedidos

O sucesso ou não de um MVP está diretamente relacionado ao uso correto da metodologia escolhida. Alguns exemplos de startups brasileiras inovadoras nos mostram o quanto, através de uma ideia embrionária bem aplicada, um negócio pode se destacar no mercado. Aqui estão alguns outros cases de sucesso: 

01 – Dropbox:

O Dropbox foi criado através da elaboração de estrutura de um serviço de sincronização de arquivos baseados em nuvem, mas não havia, até então, pessoas interessadas nesse tipo de serviço. Foi então que Arash Ferdowsi e Drew Houston, os fundadores do Dropbox, decidiram ir diretamente ao público final aplicando um MVP feito através de um vídeo de divulgação de como o aplicativo efetivamente funcionária.

02 – Uber:

Em 2008, os fundadores do Uber tiveram um insight pela sua insatisfação com o uso de transportes em São Francisco. Isso motivou os empreendedores a criarem um MVP, através de uma necessidade constatada, feito com baixo orçamento e que gerou um aplicativo de caronas que rodasse, inicialmente, apenas na sua cidade natal. 

Através dos dados obtidos por esse protótipo, diversas melhorias foram efetuadas e logo foi lançado o serviço que hoje conhecemos.

03 – Spotify:

Em 2006, a indústria da música enfrentava diversos problemas relacionados à pirataria. Muitos sites disponibilizavam acesso online às músicas que, até então, só geravam receitas de forma física. Após perceberem o problema e elaborarem uma solução, os fundadores do Spotify criaram um MVP, por meio de um aplicativo de desktop que oferecia streaming de música com anúncios para gerar receita. 

O uso dessa ferramenta gerou informações que evidenciaram os anseios e necessidades do mercado – uma jogada certeira.

Vantagens de se aplicar um MVP

A criação de um produto, a análise do mercado, o custo e o feedback do público são de extrema importância para a criação de um produto de sucesso. Talvez, por isso, seja quase impossível subestimar o impacto do desenvolvimento de um Mínimo Produto Viável. Entre os seus inúmeros benefícios, podemos citar:

Crédito: Agilie
  • Redução de custos: é normal um empreendedor se assustar com a necessidade de construção de um MVP, porque isso envolve a aplicação de recursos e insumos na construção de um protótipo. No entanto, nesses casos, o preço do erro é substancialmente menor do que se o produto final fosse lançado direto ao mercado;
  • Coleta de informações e feedbacks dos usuários de  forma interativa: com um MVP, é possível descobrir gaps nos recursos e mais e menos populares da sua solução e aplicar as melhorias necessárias. Além disso, você consegue identificar se funções adicionais serão necessárias;
  • Economia de tempo: criar um modelo base requer menos esforços. De acordo com o Lean Startup, a primeira versão de um MVP costuma levar cerca de 12 semanas para ser construído (incluindo as fases de programação e design);
  • Atração de investidores e primeiros clientes pagantes: aqui, as vantagens são óbvias, se o seu produto começa a gerar mais receita, você pode, consequentemente, aprimorar o seu produto.

Assim, uma vez que o MVP possibilita a validação com dados reais, a redução de custos, aprimoramento do produto, coleta de dados, ele coloca definitivamente a sua empresa no radar do mercado.

Por conseguinte, faz com que você passe a pensar visionariamente como uma startup e consiga estabelecer um planejamento eficaz com base em estratégias, necessidades e análises reais. 

Dicas para implementar um MVP de sucesso

Descobrir qual MVP é ideal para a sua empresa não é uma tarefa fácil, é necessário analisar o cenário, entender o seu produto e as características dele, analisar o seu público-alvo e traçar os seus medidores de sucesso (KPI’s). Para te auxiliar nessa empreitada, aqui estão alguns passos para a construção de um MVP de sucesso:

  1. Monte uma equipe:

A escolha de uma equipe vai além da elaboração do MVP, pois você precisa de profissionais capazes de oferecer uma visão ampla do cenário em que se está inserido, que tenham técnicas de design e que compreendam a necessidade da sua solução. Em suma, monte uma equipe plural que seja capaz de validar todos os aspectos do seu serviço/produto. 

  1. Entenda a necessidade do mercado e a dor do cliente:

Para que uma ideia seja bem executada, é necessária a análise da sua necessidade. Dessa forma, após estar com a equipe montada, é hora de fazer pesquisas e traçar qual é o seu cliente ideal e qual é a sua dor.

  1. Defina o produto:

Para definir o produto, dois passos são fundamentais: o primeiro é definir qual dor do seu público você quer solucionar e como você pode fazer isso, já o segundo é definir os atributos do seu produto, as funcionalidades, as características e execuções que ele possivelmente terá.

  1. Defina as variáveis a serem testadas:

Elabore diferentes versões do mesmo produto e escolha quais versões deseja usar para teste. Após essa escolha, defina quais indicadores serão usados para coleta de dados e as metas que caracterizarão o sucesso do seu produto. 

  1. Defina quando, onde e como o produto será testado:

Definir onde o produto será distribuído e divulgado, se será feito de forma física ou online e estimar quanto tempo será necessário para a coleta de dados é imprescindível. Após essas estimativas, é importante estruturar a apresentação para os seus consumidores. 

  1. Analise os dados

Analise os feedbacks do mercado e dos clientes, entenda os riscos e as vantagens do produto e aprimore a versão final com base no conhecimento coletado.

O MVP é uma peça essencial e eficiente para uma estratégia de experimentação, pois o produto é feito com um conjunto mínimo de recursos e permite que haja possibilidade de melhorias para que seja mais assertivo.

Porém, mesmo sendo fundamental para validar uma ideia de negócio, o MVP não é a única ferramenta para se otimizar dentro de uma startup.

Ao iniciar um negócio, a busca por melhorias e por ferramentas que facilitem o dia a dia do empreendedor são essenciais. Nesse sentido, as soluções da Clicksign são perfeitas para se reduzir custos e gerenciar todas as fases da sua empresa. 

Agora que você já sabe como montar um MVP, venha conhecer também as nossas soluções, teste gratuitamente a nossa plataforma e construa uma marca de valor no mercado.

Avalie esse conteúdo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.