Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

Gestão Educacional: o que é e como a digitalização auxilia?

Sala de aula com duas crianças, sendo uma menina desenhando em uma folha de sulfite e um menino um pouco atrás em sua mesa de estudos.
Assinatura Eletrônica e Digital / Tecnologia e Negócios
Segmento:

Gestão Educacional: o que é e como a digitalização auxilia?

A gestão educacional é uma expressão cada vez mais comum nos ambientes de ensino. Ela remete ao correto planejamento de todos os processos desenvolvidos nessas empresas, sejam elas particulares ou públicas.

Dessa forma, mapear as ações administrativas e pedagógicas representa a correta alocação e aplicação de recursos financeiros, humanos e materiais. Isso porque a instituição de ensino é uma empresa, que tem suas peculiaridades, principalmente se a análise for voltada para o ensino privado.

Por outro lado, quanto à instituição de ensino pública, é seu dever zelar pelo bom uso dos recursos públicos e entregar para a sociedade uma educação de qualidade. E aí, será que a digitalização de processos pode trazer melhorias para esses quadros?

A resposta é simples: a digitalização da gestão educacional pode te ajudar a alcançar esses objetivos. Todavia, há outras informações que você precisa saber sobre esse assunto. Continue aqui e confira!

O que é a gestão educacional?

A gestão educacional tem como responsabilidade a organização de todos os setores da escola, desde o administrativo, passando pelo pedagógico, até a gestão de pessoas, da comunicação e da educação em si. Assim, o foco é que os processos estejam direcionados para proporcionar um ambiente de ensino construtivo, seguro e efetivo.

É parte da administração educacional entender e aplicar as diretrizes que guiam o setor. Essas diretrizes devem estar em convergência com os processos e formas de conduzir a metodologia de ensino-aprendizagem entre alunos e professores.

Como você já acompanhou por aqui, as instituições públicas e privadas apresentam contextos consideravelmente distintos quanto à escolha e condução de todos os processos educacionais. O setor público, nesse sentido, pode apresentar um processo mais educacional lento, por ser bastante burocrático.

Ao contrário, as escolas particulares têm boa autonomia, podendo constatar problemas e apresentar soluções rapidamente. Entretanto, podem pecar na transparência ou estarem menos abertas à participação da comunidade escolar. Assim, é preciso levar em conta essas particularidades antes de qualificar a gestão educacional no Brasil.

Como funciona a gestão educacional?

A boa gestão de um ambiente educacional funciona dando autonomia para áreas macro que integram os processos. Elas são:

  • setor administrativo;
  • setor financeiro;
  • setor pedagógico;
  • setor de recursos humanos;
  • setor de gestão de pessoas;
  • setor de comunicação.

Para que os âmbitos da empresa consigam funcionar de forma sinérgica, é preciso que estes estejam alinhados. Ou seja, que haja clareza nos objetivos de cada um deles e entendimento de como as metas mais setoriais são fundamentais para atingir objetivos traçados por toda instituição.

Entretanto, engana-se quem ignora a influência da gestão educacional no aspecto pedagógico. Ela chega a impactar na aplicação das metodologias de ensino. O modelo de gestão, por exemplo, explica isso.

Os formatos de gestão educacional podem ser classificados como democrática, participativa e privada. Abaixo traçamos as diferenças:

  • Gestão democrática: gestores, professores, colaboradores e comunidade escolar opinam e participam da gestão;
  • Gestão participativa: as decisões são tomadas por um conselho formada por gestores, professores e comunidade escolar;
  • Gestão privada: as decisões são exclusivas dos gestores educacionais.

Um ponto interessante a se destacar é que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional ampara a gestão democrática na educação, apontando que esse modelo é que traz melhores benefícios ao ambiente escolar.

Qual a importância da gestão educacional?

A importância da gestão educacional na instituição de ensino se concretiza pela existência de dois fatores importantes em jogo que precisam estar alinhados. Eles estão relacionados à visão de negócio e aos objetivos pedagógicos dentro do modelo de gestão.

Dessa forma, o gestor procura um ponto de equilíbrio na gestão de diversas áreas para que a empresa tenha saúde financeira e consiga estar em constante melhoria.

Com essa intenção, muitas instituições têm buscado criar seus planejamentos estratégicos. Por sua vez, esses planos requerem outros instrumentos para acompanhar a sistematização e aplicação das ações, mas também para mensurar e, caso necessário, fazer ajustes na rota.

Quem faz a gestão educacional?

O comando e coordenação da gestão educacional acontece de forma diferente entre as instituições de ensino públicas e particulares.

Nas públicas ,é o Governo Municipal, Estadual ou Federal o responsável pela criação, implementação e execução das diretrizes. Eles têm como base os documentos que regulam a educação no Brasil. Entre eles, se destaca a Constituição Federal de 1988, que garante o acesso à educação a todos os brasileiros, mas, também, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Por outro lado, a gestão pedagógica compete à direção de cada escola.

Nas escolas particulares, por sua vez, a gestão é integralmente feita pelos representantes da instituição. É claro que eles possuem como referência muitas leis que regulam o setor educacional brasileiro. Todavia, têm mais autonomia para tomar decisões, decidir sobre regras e processos.

O que é considerado uma boa gestão educacional?

Em suma, uma boa forma de avaliar se a gestão educacional é boa ou não é analisando os resultados e fazendo uma comparação com os objetivos traçados. Por outro lado, há questões quantitativas que podem e até devem entrar no exame.

Dessa forma, entra em cena a habilidade de otimizar os recursos disponíveis no ambiente. Mas, também alcançar o sucesso tanto no pedagógico quanto no financeiro.

Quais as diferenças entre gestão educacional e gestão escolar?

Os termos parecem ser muito próximos. Todavia, trazem em si diferenças significativas, principalmente em seu escopo de atuação.

A gestão educacional é mais abrangente, sendo uma forma de entender o momento atual da instituição e fazer projeções para o futuro. Nesse sentido, a escola é vista como um organismo vivo, em que cada sistema tem autonomia, e são interdependentes entre si.

Em outra mão, a gestão escolar está mais relacionada às ações que precisam ser desempenhadas para que a instituição ofereça todas as atividades previstas no dia. Dessa maneira, cada instituição pode ter sua forma de tratar a gestão escolar. Por exemplo, as demandas de uma escola infantil não são integralmente as mesmas de uma instituição de Ensino Médio.

Afinal, como a digitalização contribui para uma boa gestão educacional?

A Gestão educacional é uma ferramenta de tomada de decisões, de desenvolvimento e implementação de ações. Dentro de um ramo como o educacional, que envolve diversas variáveis e resultados qualitativos, as decisões ainda serão tomadas por pessoas.

Por outro lado, a digitalização dos processos e dos documentos é uma realidade em todos os setores nacionais. No ramo educacional, as ferramentas de controle e acesso de dados empresariais, legais e pessoais são uma necessidade. Ou seja, muitos arquivos e documentos precisam ficar na instituição apenas a quantidade de tempo prevista por lei. Depois, podem ser digitalizados.

Para isso, é preciso organização. Dessa forma, muitas instituições educacionais optam por sistemas integrados e inteligentes de gestão. Nesse sentido, as ferramentas de ERP desempenham atividades de grande valor, isso pensando em aspectos administrativos e financeiros, mas também informativos e comunicacionais.

Os sistemas digitais são capazes de controlar aspectos da rotina estudantil, mas também facilitar a comunicação entre setores e pessoas. Por exemplo, informações sobre um aluno podem chegar rapidamente no celular dos pais ou documentos importantes podem ser enviados de um setor ao outro, sem que para isso precisem ficar expostos numa rede aberta de internet.

Quais setores podem melhorar com a gestão educacional?

A gestão escolar pode trazer melhorias para o desempenho de todos os outros setores, se coordenada e aplicada adequadamente. No departamento financeiro, por exemplo, pode fazer com que os recursos sejam melhor alocados, sendo aplicados em ações estratégicas. Além de possibilitar a redução de gastos em ações de pouco valor para o sucesso pedagógico e financeiro.

No setor pedagógico, os benefícios podem ser inúmeros. Por exemplo, um dos objetivos pode ser estreitar laços entre a instituição e a comunidade externa, ou seja, fazer com que os pais dos alunos estejam mais presentes no ambiente. Ou, por outro lado, promover uma maior integração entre escola e comunidade local, com participação efetiva de professores e funcionários.

Essas duas ações, por si só, já provocariam resultados interessantes. Primeiro, o engajamento da família tornaria a escola um lugar mais amigável ao aluno, contribuindo com a aprendizagem. Segundo, os pais se sentiram mais responsáveis pela educação escolar dos filhos. E, por último, professores e funcionários poderiam ficar mais motivados ao se sentirem parte de uma comunidade para além dos muros da instituição.

Nesse texto ,você percebeu que todos os setores de uma instituição podem ser beneficiados com uma boa gestão educacional, além disso, entendeu como a digitalização pode acelerar esses ganhos. Até uma próxima!

5/5 - (1 avaliações)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *