Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

Inteligência emocional: o que é e como aplicar no trabalho?

Quatro pessoas sentados à mesa com computadores e debatendo algum assunto.
Tecnologia e Negócios

Inteligência emocional: o que é e como aplicar no trabalho?

A inteligência emocional tem se destacado como um conjunto de habilidades ideal para profissionais no mundo corporativo, devido ao grande sucesso e aos resultados impressionantes de líderes e colaboradores que conseguem desenvolver suas competências com este foco.

Mas, afinal, o que é a inteligência emocional, quais são seus benefícios e como ela influencia diretamente nas relações no ambiente de trabalho? É sobre isso que falaremos no post de hoje. Vamos lá?

Inteligência emocional, você sabe o que é?

Segundo Daniel Goleman, jornalista que popularizou o termo como conhecemos hoje, inteligência emocional é a habilidade comportamental de saber identificar, avaliar e influenciar nossos sentimentos e os dos outros, gerindo bem as emoções dentro de nós e em nossas relações, sejam elas profissionais ou não.

Em seu livro sobre inteligência emocional ele ainda reforça que, com as habilidades dessa competência, os indivíduos são capazes de lidar com suas emoções de forma que elas não interfiram negativamente no seu dia a dia.

Para aprofundar mais um pouco sobre o assunto, existem alguns pilares base para a inteligência emocional ser utilizada no dia a dia. Falaremos deles a seguir.

Pilares da Inteligência emocional

Daniel Goleman qualifica a inteligência emocional com base em 5 pilares que ajudam a colocar em prática e desenvolver habilidades em prol de melhores relacionamentos interpessoais nas empresas:

1. Autoconhecimento ou reconhecer as emoções:

Nesse pilar desenvolvemos habilidades para ter um maior autoconhecimento e estar consciente sobre suas emoções quando elas afloram. Com inteligência emocional é possível identificar emoções através de gestos, falas, expressões e outras formas de linguagem.

Ao conhecer bem as emoções que você sente, fica mais fácil colocar o próximo pilar em prática.

2. Controle emocional

Nesse pilar falamos sobre as habilidades de, ao reconhecer o que sente, saber controlar as emoções. Isso é primordial para saber adequá-las para cada situação, sabendo colocá-las no lugar, buscando equilibrar o que se sente.

Imagine uma situação em que você sinta raiva ou medo, o mais adequado é saber controlar essas emoções, esfriando a cabeça antes tomar qualquer decisão ou falando com seus colaboradores. Isso ajuda a evitar conflitos desnecessários que podem impactar diretamente na produtividade.

3. Automotivação

Outra habilidade bastante observada em pessoas que têm inteligência emocional é a automotivação, ou seja, a capacidade de usar os sentimentos e dirigi-los para uma realização, nos mantendo sempre lutando e indo atrás das nossas metas.

4. Empatia

Saber desenvolver o reconhecimento das emoções em outras pessoas pode ajudar um líder a compreender os sentimentos da sua equipe e a se colocar em seu lugar. A empatia é fundamental para a tomada de decisões e para ter um bom relacionamento, tornando o líder uma pessoa mais aberta e sensível.

5. Habilidade em relações interpessoais

Criar relacionamentos saudáveis com os membros da sua equipe te ajudará a ter uma vida mais equilibrada, com um ambiente mais positivo e leve. Aqui vale prezar por interações de qualidade com o outro, através de competências sociais.

Você também pode se interessar: Afinal, o microgerenciamento é bom ou ruim para os negócios?

Qual a importância de se trabalhar a inteligência emocional?

Você sabia que 58% da sua performance no trabalho depende diretamente da inteligência emocional? Esse é um dado que o livro “Inteligência Emocional 2.0” nos apresenta. Além disso, outra informação que chama a atenção é que a cada 10 profissionais com alto QI, 7 são superados por colaboradores que têm alta inteligência emocional.

Quer outro bom motivo para aprender mais sobre inteligência emocional? Em uma pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial, a inteligência emocional está entre as 15 habilidades que estão em alta no mercado de trabalho, ao lado de pensamento analítico e inovação, criatividade, resolução de problemas e liderança.

Com a inteligência emocional os líderes terão mais habilidade para conversar com os colaboradores de forma adequada, ajudando-os a buscar um melhor desempenho, formando um time colaborativo e interligado.

Para os colaboradores, fica mais fácil identificar pontos fortes e fracos e tomar ações efetivas para melhorar a produtividade e suas relações interpessoais, em prol dos objetivos e metas da empresa.

Leia também: 10 técnicas de gestão de tempo para alcançar resultados focados.

Quais os benefícios da inteligência emocional no trabalho?

Profissionais que desenvolvem a inteligência emocional estão mais preparados para trabalhar com resiliência e têm maior capacidade de auxiliar seus liderados e companheiros de profissão. Além disso, essas pessoas têm maior facilidade no aprendizado.

A seguir falamos melhor sobre os benefícios da inteligência emocional no trabalho. Confira:

1. Melhora os meios de resolução de conflitos

Com a inteligência emocional desenvolvida é mais fácil atuar na resolução de conflitos, que, muitas vezes, são inevitáveis dentro do ambiente de trabalho.

Saber dominar as emoções é fundamental nesses momentos, para administrar os sentimentos mesmo durante conversas mais difíceis, levando as pessoas a um acordo o mais rápido possível, sem danos maiores.

2. Ajuda no controle das emoções dentro da empresa

Saber lidar com as emoções no espaço de trabalho só traz vantagens, tanto para o indivíduo, quanto para a empresa de modo geral. Pessoas com boa inteligência emocional conseguem entender melhor suas emoções e sabem aplicá-las de forma mais correta de acordo com as situações.

Além disso, colaboradores com um bom controle emocional tendem a ser mais equilibrados, cautelosos e intuitivos, o que ajuda – e muito! – nas pequenas tomadas de decisão nas tarefas. O resultado são empresas otimizadas e com objetivos e metas realizados com mais eficácia.

3. Melhora o relacionamento interpessoal

O trabalho em equipes multidisciplinares e a construção de relacionamentos saudáveis passa por troca de experiências, boas relações e respeito pelas diferenças, certo?

Com as habilidades sociais e um bom entendimento das nossas emoções e de nossos colegas, é possível criar um ambiente mais amistoso e fazer com que as relações caminhem para os mesmos objetivos.

4. A comunicação fica mais efetiva

Quando os líderes e colaboradores têm uma consciência mais plena de suas emoções e têm mais preparo para lidar com os sentimentos dos outros, fica mais fácil transmitir mensagens de forma clara, diminuindo a possibilidade de ruídos em conversas no dia a dia.

5. Ajuda a reduzir o estresse

Quando um profissional não tem o domínio sobre suas emoções e não consegue reconhecer seus limites é mais difícil tomar alguma atitude contra sobrecargas e, consecutivamente, contra o estresse e ansiedade que tudo isso causa.

Nós sabemos como o esgotamento físico e mental é capaz de impactar negativamente na saúde e na produtividade das pessoas, por isso é tão importante desenvolver a inteligência emocional, a fim de controlar melhor as emoções e ter maior preparo para lidar com as pressões e desafios do ambiente de trabalho.

Como aplicar a inteligência emocional no trabalho?

Existem algumas atitudes diárias que ajudam a lidar com emoções negativas, ser uma pessoa mais empática e saber se recuperar das adversidades que ajudam a desenvolver a inteligência emocional no trabalho.

São pequenos passos que vão colocando suas habilidades em prática e podem fazer com que os resultados apareçam mais rápido. Confira as dicas:

1. Administre as emoções negativas

No dia a dia da rotina de trabalho é normal passar por momentos de raiva, frustração, ansiedade e até medo, mas ao identificar essas e outras emoções negativas tente focar os esforços para entender as causas e como elas podem afetar o seu trabalho dentro da empresa.

Evite tirar conclusões precipitadas quando alguma situação te incomoda. Dê preferência para ouvir todos os lados, entender o que está acontecendo e motive seu time a buscar soluções e focar somente nelas.

2. Seja mais objetivo

Busque definir quais emoções são mais úteis e positivas para o ambiente de trabalho. Sentimentos como segurança, otimismo, calma ou foco, quando colocados em prática nas relações cotidianas, ajudam a evitar atitudes impulsivas e te deixam mais objetivo quanto às soluções de situações atípicas no dia a dia.

3. Saiba o que te causa mais estresse

Você sabe dizer o que te tira do sério dentro do ambiente de trabalho? São as reuniões demoradas? A caixa de e-mails lotada? Quando você encontrar os seus gatilhos negativos fica mais tranquilo lidar e superar estes problemas.

Se seu problema está nos e-mails, por exemplo, que tal escolher um momento do dia apenas para resolver essas pendências de forma rápida, para ficar “livre” delas? Nós fizemos um conteúdo sobre a Matriz de Eisenhower, para ajudar a priorizar as atividades do dia a dia, pode ser uma ótima saída para ver o que fazer primeiro ou até mesmo, delegar quando for preciso.

Por fim, conhecendo seus pontos fracos de estresse, lute para que eles não te dominem e se prepare para encarar as adversidades.

4. Aprenda a se recuperar das adversidades

E por falar em adversidade, elas estão no dia a dia de todo líder na empresa, assim como os diversos desafios que esse cargo tanto demanda. Como você lida com isso é o que determina se você está no caminho do sucesso ou está dando passos para trás.

Como já falamos anteriormente, contar com a automotivação te fará um líder diferente, pronto para ir à luta e deixar os pensamentos negativos de lado. Deixe de lado as reclamações constantes e foque nos pontos positivos.

Ah, e nunca deixe de se questionar em meio aos desafios, porque é nas grandes dificuldades que os líderes crescem e ajudam os demais colaboradores do time a crescer.

5. Evite reações impulsivas durante os conflitos

Não se deixe levar pelo calor da emoção e não deixe a explosão emocional tomar conta da atmosfera. Pessoas com boa inteligência emocional tem um controle maior sobre as emoções e tem em mente que, nessas horas, o mais importante é resolver a situação e evitar que ela tome proporções descontroladas.

6. Pratique a escuta ativa

Um líder com inteligência emocional precisa ser um bom ouvinte, sempre ouvindo com atenção o interlocutor antes de responder, buscando sempre compreender o que o outro está dizendo antes de falar.

Uma boa dica é atentar-se também a detalhes não verbais, eles também podem te ajudar a identificar desconfortos e passar informações importantes. Não deixe de demonstrar respeito por quem você está ouvindo.

7. Saiba receber críticas

Seja uma pessoa sempre aberta para ouvir feedbacks da sua equipe e saiba receber críticas. Sempre busque entender como elas estão afetando as outras pessoas e como resolver os problemas citados, de forma construtiva.

8. Busque sempre a empatia

É praticamente impossível falar de inteligência emocional sem falar de empatia. Essa virtude permite que o líder se coloque no lugar da sua equipe para entender melhor seus pontos de vista. Assim fica mais fácil agir em diversas situações com pessoas diferentes, para ter um convívio mais harmonioso com todos.

Antes de julgar tente entender porque a pessoa agiu de determinada forma.

9. Use uma comunicação clara e com persuasão

Pessoas que são emocionalmente inteligentes têm maior facilidade em se comunicar de forma clara e não aprovam uma comunicação agressiva ou passiva. Estão sempre preparados para colocar seu ponto de vista, sem impor algo ou faltar com o respeito.

Saiba argumentar para convencer diferentes perfis, sempre olhando para as suas emoções, a fim de ajudá-la a ir para caminhos mais favoráveis e que levam ao melhor jeito de alcançar os objetivos.

Agora que já entendemos a importância da inteligência emocional no trabalho é hora de colocar em prática no dia a dia. Com nossas dicas temos certeza que você conseguirá dar os primeiros passos rumo à uma gestão mais acolhedora e motivadora.

Continue acompanhando nosso blog para mais dicas de gestão. Até o próximo post!

Avalie esse conteúdo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.