Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

O que são documentos históricos? Os de hoje são os mesmos do futuro?

pilha de livros históricos com lupa a frente
Jurídico

O que são documentos históricos? Os de hoje são os mesmos do futuro?

Hoje, na modernidade, vivemos uma era de inovação tecnológica, computação na nuvem e uso maciço de softwares para que pessoas em lugares diferentes do mundo possam se comunicar, mas há pouco tempo não era bem assim.

Apenas nos sonhos mais promissores daqueles que eram tidos com loucos — mas que, na verdade, eram visionários — a automação de atividades rudimentares era possível. Papéis moldavam a história da humanidade e, por vezes, eram mais importantes que pessoas.

A Clicksign já falou bastante sobre a automação aqui no blog, mas e esses documentos históricos, você sabe o que representam para a citada transformação social e como os documentos que ditam o futuro são hoje? Fizemos um arremate histórico sobre essa temática, inclusive trazendo exemplos de documentos históricos que vamos te mostrar no decorrer do texto!

Qual a importância dos documentos históricos?

A história envolve tanto o passado, como presente e futuro, e todos nós já ouvimos falar e/ou estudamos na escola e faculdade alguns documentos (históricos) que moldaram a humanidade.

Quantos acordos já não foram selados no papel? Quantas tréguas não foram anuídas entre verdadeiros inimigos por confiança em um documento escrito a mão e assinado à tinta? Podemos começar daí a perceber a importância dos documentos históricos apenas por exemplificar a eficácia de alguns deles.

Um documento, por si só, sem contexto, pode não significar nada, mas quando problematizado e estudado a fundo em consonância com a época e situação em qual fora produzido, este pode fornecer a oportunidade ímpar de identificar momentos importantes da formação da sociedade. E isso se dá até hoje!

Como se define um documento como, estritamente, histórico?

Bom, aos historiadores esse termo remete a tudo aquilo que foi produzido e registrados por seres humanos ao longo do tempo. No início da sistematização das formas de filosofia, psicologia e até da história como disciplina científica no século XIX e até meados do século XX, só eram considerados documentos históricos dignos de nota aqueles que haviam sido escritos de forma oficial, seja pela Igreja ou pelo Estado.

Deste modo, os demais vestígios escritos acabavam por não dispensáveis naquela ocasião. Se fosse para fazer uma analogia do passado com a modernidade, seria possível afirmar que estes documentos ignorados não possuíam validade jurídica, por exemplo. Tem coisas que não mudam, não é?

Pois bem! Felizmente o mundo está em desenvolvimento constante e o entendimento sobre documentos históricos foi ampliado para o que conhecemos hoje: todo e qualquer documento produzido em determinada época ou sociedade é tido como histórico, e por isso, importante e indispensável para trazer a tona verdades que só aquelas pessoas viveram.

O conhecimento de mundo que temos hoje adveio de vestígios históricos escritos, afinal a história é “a ciência dos homens no tempo”, segundo Bloch, ou seja, só é possível saber o que aconteceu antes de nossa existência por meio destas informações eternizadas.

Assim, apenas para que não restarem dúvidas, lembra-se quando dissemos que o conceito de documentos históricos havia se ampliado? Pois bem, estávamos nos referindo a informação de que não só os vestígios escritos são tidos como documentos históricos, mas também vestígios os iconográficos, materiais, visuais, sonoros e orais.

4 documentos históricos importantes

Acredita-se que, ao longo da civilização humana, incontáveis documentos foram produzidos pelos povos que habitaram a terra, e muitos dele inclusive mais do que só existiram: ditaram o presente e o futuro. Que tal conhecer alguns dos mais lembrados?

1. Lei Áurea

Em 13 de maio de 1888 a Lei nº 3.353 pode ser considerada como um dos mais breves e mais famosos atos legais (portanto, escrito e histórico) da história do Brasil: com apenas dois artigos este documento carrega o peso de muitas vidas salvas (700 mil escravos foram libertos, mas muitos mais haviam sido submetidos a situações desumanas) em suas linhas, haja vista que por meio delas a escravatura foi, legalmente, abolida no país.

Em uma época em que Portugal exercia soberania sob nossas terras a escravidão era o centro das preocupações, este documento foi um marco para a mudança política e social do país.

2. Código de Nuremberg

O Código de Nuremberg é um conjunto de 10 princípios éticos que regulamentam a experimentação científica em seres humanos, que teve de ser formulado após o fim da Segunda Guerra Mundial, no ano de 1947, para julgar médicos nazistas que agiram de maneira absolutamente abusiva nos campos de concentração.

3. Pacto de San José da Costa Rica

Se hoje você tem direitos humanos invioláveis e protegidos internacionalmente, saiba que foi em ocasião de 1969, na Convenção Americana de Direitos Humanos, que eles foram consolidados. O Brasil entregou sua carta de adesão ao Pacto em 1992, quando este tornou-se signatário (assinou) e fez com que a legislação entrasse em vigor no país.

Percebem como acabamos de, em um tópico só, citar dois documentos históricos essenciais a humanidade?

4. Constituições Federais

Não estamos falando apenas das sete Constituições que o Brasil teve, mas de fato dos inúmeros Códigos de Conduta que todas as nações do mundo, sem exceção, tiveram de redigir e promulgar em seus territórios para enumerar e limitar os poderes e as funções do Estado e definir quais as garantias e deveres dos cidadãos.

Os textos criados em cada uma das Constituições trazem em sua redação a mais clara transcrição de como a sociedade se comportava na época de sua elaboração e até vislumbramentos do futuro.

Nos dias atuais, como são os documentos que farão história?

Certamente os gerados em plataformas digitais! Hoje em dia o Senado Brasileiro já possui uma plataforma de arquivamento digital de documentos históricos digitalizados, então, porque não esperar que em futuro não muito distante, Tratados e Acordos Nacionais e Internacionais não poderão ser anuídos por meio de assinatura com certificado digital para garantir a validade jurídica?

Não se pode mais arriscar perder dados importantes do desenvolvimento humano como os múltiplos documentos históricos que jamais serão repostos, e até os órgãos de cúpula parecem já saber disso, então por que você não implementa a automação digital de vez também em sua empresa? A Clicksign te ajuda!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *