Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

Entenda a relação da assinatura digital e blockchain!

Imagem de um tablet apresentando um gráfico de análise de picos
Assinatura Eletrônica e Digital / Segurança e Autenticações / Tecnologia e Negócios
Segmento:

Entenda a relação da assinatura digital e blockchain!

A relação entre assinatura digital e blockchain é uma união não tão conhecida, mas muito importante para diferentes setores. Essas ferramentas são resultados do avanço tecnológico constante que vem ganhando espaço no ramo empresarial. Ele atinge muito além das melhorias de máquinas que otimizam a produção e melhoram a qualidade dos produtos ofertados.

Cada dia mais são criadas formas de facilitar o trabalho dos gestores. Aquele “serviço de escritório” que nem sempre tem o reconhecimento merecido está ganhando novas formas de ser realizado com menos desgaste da equipe e de forma digital. Para ficar por dentro de uma das principais tendências administrativas, continue a leitura!

Nesse post iremos explicar a tecnologia blockchain, como funciona e qual sua relação com assinaturas e certificados eletrônicos! A criptografia faz mais parte da sua rotina do que imagina!

Entendendo o que é blockchain

Blockchain nada mais é que uma rede de rastreio capaz de identificar transações de informações separadas por blocos. Não importa se o conteúdo daquele código trata-se de imagens, vídeos, contratos, documentos, ações ou outros dados: eles são agrupados, validados e repassados de forma segura para um novo grupo. Cada um desses repasses fica registrado nessa rede.

Quando um computador ou outro dispositivo lança determinado dado para o ambiente virtual, esse dado transforma-se em um código – com identidade única, chamado de código hash. Essa tecnologia identifica e registra esse envio de dados entre blocos criptografados no meio digital, garantindo a segurança nesse processo.

Para ficar mais simples, vamos a um exemplo prático com um passo a passo de como funciona essa operação:

  1. Pessoa 1 envia um valor para Pessoa 2 (o termo “valor” pode ser substituído por textos e imagens.);
  2. O valor se transforma em um dado, correspondente a essa operação, e é inserido na rede;
  3. O sistema valida a transação;
  4. O dado é agrupado a um bloco conectado a uma corrente de outros blocos;
  5. Pessoa 2 recebe a quantia.

Os blocos são conjuntos de informações agrupadas pela data e hora que foram adicionadas ao sistema. A cada 10 minutos novos dados são inseridos e um novo bloco é criado, contendo os antigos e novos conteúdos. Entre um período de criação e outro é que ocorre a verificação que mantém a segurança e lisura da operação.

O blockchain é uma forma de validação que apareceu pela primeira vez em 2008. Essa foi a data onde Satoshi Nakamoto publicou o artigo chamado “Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer”. Nesse documento, ele fala sobre a tecnologia que permite que as criptomoedas existam e funcionem, pois não permite que as informações sejam adulteradas.

Essa é mais uma das formas de ferramentas digitais modificando o setor empresarial, a economia e outras áreas. Falamos mais sobre o tema no post “Entenda o que é automação e como ela pode revolucionar sua empresa“.

Como a tecnologia blockchain funciona?

O funcionamento do blockchain é baseado no fornecimento de dados, nos blocos de informações e nas validações feitas. Quando uma informação é inserida nessa ferramenta, ela é incluída em um bloco e ganha uma identidade – um certificado único chamado de hash.

Os hash são como as digitais humanas, ou seja, não podem existir dois iguais. Ele permite a identificação de quem o possui (ou, nesse caso, enviou). Esses registros são criptografados e comprovam de onde o conteúdo veio não permitindo que ele seja alterado, o que, por sua vez, garante que os registros de origens e todos os outros dados sejam mantidos.

Ao ocorrer uma nova transação envolvendo aquele hash, outro bloco de informações é criado e um novo desses certificados também. Esse segundo conjunto contém o que o primeiro tinha, assim como novos dados adicionados. É um processo que, como já citamos, repete-se a cada 10 minutos. O método é chamado de “corrente de blocos” justamente por manter essa ligação com o aglomerado anterior.

Blockchain uma ferramenta que utiliza o sistema chamado de peer-to-peer, onde cada computador atua como um servidor, bem como usuário da rede em que está inserido. Isso faz com que seja dispensável a existência de um servidor central para armazenar todos os dados fornecidos.

Novas transações só podem ocorrer quando a rede onde elas estão inseridas, as valida. Ou seja, o conjunto de servidores peer-to-peer verificam o hash apresentado, se a maioria considerar que ele não está corrompido, a operação continua. Assim novas informações são adicionadas, um novo registro é gerado e a cadeia se monta.

É por conta desse funcionamento que ele é considerado um sistema de validação, sendo referência em segurança da informação nos dias atuais.

Assinatura digital e blockchain: entenda a relação entre eles

Existe uma relação muito íntima entre blockchain e assinatura digital – que apostamos que você já percebeu! –, uma vez que o primeiro não poderia acontecer sem o segundo. É preciso que o emissor ateste sua vontade de fazer aquela determinada transação para que a informação entre na cadeia de blocos. Ou seja, um dado só é incluído em um grupo se estiver assinado.

As assinaturas digitais comprovam que quem fez a transação está ciente do conteúdo ali adicionado. Sendo assim, quando esse dado é colocado no blockchain, é gerado uma validação digital que o identifica e bloqueia a alteração de seu conteúdo – essa validação é feita pelos códigos hash.

Por meio dessa funcionalidade que são feitas as validações entre transações no sistema de blockchain. O procedimento consiste em pegar a informação daquele código e compará-la com a que consta no sistema. Ou seja, conferir se, de um bloco de dados para outro, o conteúdo referente àquele arquivo foi modificado.

Essa operação é o que acontece quando checamos a validade de um documento digital. Falamos mais sobre o assunto no post ” Veracidade do documento: como consultar assinatura“.

Vantagens de usar blockchain em documentos

Quem acompanha o blog da Clicksign já sabe o quanto as assinaturas digitais são seguras. Elas permitem que o envio de documentações e processos fique mais simples e protegido. O sistema blockchain agrega muito a esse tipo de operação!

O principal motivo para essa ser uma saída para quem precisa enviar arquivos, contratos e relatórios de forma segura, é que as validações ocorrem a cada 10 minutos. Sendo assim, as chances já baixas de ocorrer algum problema quanto a integridade do conteúdo, se tornam inexistentes. Mesmo assim, ainda existem outros motivos para se tornar adepto a essa ferramenta, são eles:

  • redução de custos;
  • otimização de operações internas e com parceiros;
  • criar um registro cronológico da passagem das informações;
  • transações mais confiáveis;
  • descentralização do banco de dados por conta do uso do peer-to-peer.

Esperamos que esse conteúdo sobre assinatura digital e blockchain tenha te ajudado a entender como a tendência tecnológica que é tão utilizada pelos investidores em criptomoedas, funciona. Também como ela não está distante do setor empresarial seja pelas possibilidades de uso que tem, ou por ser adepta as certificações digitais.

O blog da Clicksign possui conteúdos sobre os principais assuntos que abordam tecnologia e gestão de negócios. Acompanhe nossos posts e aprenda muito mais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.