Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

A importância dos marketplaces no e-commerce brasileiro

Template - Imagem Blogpost (1)
Tecnologia e Negócios

A importância dos marketplaces no e-commerce brasileiro

Já não é mais novidade que o consumidor teve que se adaptar às novas formas de fazer compras. A busca pela praticidade e comodidade se tornou prioridade, indo além da facilidade de encontrar produtos e comparar os preços e impulsionando as novas formas de comercialização no ambiente digital, como a adesão aos marketplaces.

Embora o crescimento desse mercado tenha sido gerado por um contexto externo, o consumidor está cada vez mais exigente e digitalizado. Hoje, já é possível ter em menos de um clique as compras disponíveis na porta de sua casa.

Segundo um estudo feito pela Mirkal, a presença de compra e venda em marketplaces no Brasil tem crescido no decorrer dos últimos anos, com um destaque maior para os anos da pandemia. 

Cerca de 41% dos entrevistados brasileiros afirmaram comprar exclusivamente em marketplaces em 2019 e essa porcentagem saltou para 68% em 2020 e 71% em 2021.

No entanto, o crescimento desse segmento é ainda maior, pois segundo a 42ª edição do Webshoppers, o mais importante relatório sobre e-commerce do país, realizado pela Ebit|Nielsen, os marketplaces foram responsáveis por 78% do faturamento do e-commerce brasileiro em 2020.

Neste artigo você entenderá sobre essa tendência, o que é marketplace e qual a sua importância para as pequenas e médias empresas. 

O que é Marketplace?

Para que você entenda a importância dos marketplaces, é preciso primeiro entender o que é e como funciona esse modelo de negócio.

O marketplace é uma plataforma de vendas online, com o objetivo de reunir diversos tipos de fornecedores, os lojistas, em um mesmo canal para que possam ofertar seus produtos. Ou seja, para que fique ainda mais claro,é uma espécie de shopping virtual que viabiliza vendas de diferentes tipos de lojas.

Não confunda marketplace com e-commerce, pois são coisas diferentes mas que estão interligadas, já que o e-commerce é uma loja online própria, exclusiva da sua empresa.

Podemos ver essas duas formas de negócios atreladas na seguinte ocasião:  quando a sua empresa, de pequeno e médio porte, precisa de visibilidade e cadastra os seus produtos em um site de uma loja já estabelecida no mercado. 
Além de aderir a essas tecnologias, é importante que você faça uma boa gestão e entenda se esse tipo de negócio condiz com o seu público. Dessa forma, esteja sempre atento à indústria 5.0 e as mudanças na forma de empreender.

Brasil: o maior mercado de comércio eletrônico da América Latina

Com o cenário atual dos últimos anos, estar online nunca foi tão necessário, pois é essencial encontrar novos canais de distribuição e meios de sobreviver. 

Nestas condições, para muitas empresas, a digitalização se tornou a única saída. Porém, para os pequenos e médios negócios, essa realidade foi ainda mais desafiadora, já que é difícil criar uma estrutura própria para vendas virtuais com orçamento apertado.

Nesse contexto, a implementação das diferentes tecnologias surgiram como uma verdadeira salvação e é, por isso, que o e-commerce e o marketplace ganharam ainda mais visibilidade na América Latina.

Segundo um estudo publicado pela Enext, países como o Brasil tiveram aumento expressivo nos números de compras e fizeram com que essa região do continente chegasse a 81% de relevância no varejo online, contra 72% do restante do mapa.

O sucesso dessa tendência tecnológica não foi algo repentino, a implementação desses tipos de negócios vem sendo feita gradativamente. Em 1996, surgiram os primeiros registros de lojas virtuais no Brasil, como: Lojas Americanas, Pão de Açúcar e Submarino.

Segundo um estudo feito pelo Statista, com base na distribuição do mercado de e-commerce na América Latina e Caribe em 2021, o Brasil concentra cerca de 30% do mercado de  comércio eletrônico na América Latina.  Veja através do gráfico a seguir:

Fonte: Statista

Além disso, em 2021, a recuperação desse território tem sido nítida, com destaque para o aumento de compras online no Brasil que gerou cerca de 161 bilhões de reais em receita, com potencial de atingir +8% em 2022.

Fonte: Statista

O fator que mais tem contribuído para alavancar esses números é o boom de acesso aos dispositivos móveis, já que a sua democratização tem permitido que as compras online se popularizem cada vez mais.

Os 5 maiores marketplaces do Brasil (em 2022)

Com dito acima e com base no cenário atual, estamos em uma fase de expansão e de grandes mudanças para o e-commerce mundial. Portanto, os maiores marketplaces do Brasil ganharam espaço para ampliar suas plataformas e investir ainda mais no segmento.


De acordo com a ABComm, Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, as perspectivas para o mercado do e-commerce brasileiro em 2022, aponta que em 2021 o setor faturou R$150,8 bilhões, sendo a projeção para 2022 positiva e a expectativa de faturamento de R$169,5 bilhões. Ou seja, há uma projeção de crescimento de cerca de 12%.

Já com base nos consumidores, um estudo feito pela Mirakl constatou que quase metade (48%) das compras online acontecem em marketplaces e 71% dos consumidores informaram um aumento de frequência de consumo nesses espaços nos últimos 12 meses. Entre os entrevistados, 58% esperam usar ainda mais essas plataformas no futuro.

“Com 58% dos brasileiros esperando aumentar seu uso de marketplaces em 2022 e nos próximos anos, o número de varejistas lançando marketplaces vai continuar a crescer, impulsionado pela popularidade tanto com consumidores quanto com lojistas. Todo varejista no Brasil precisa estar explorando esse modelo de negócio inovador se quiser ser bem-sucedido no futuro”.

Adrien Nussenbaum, cofundador e co-CEO da Mirakl

Para que você entenda a proporção do impacto do e-commerce no brasil, aqui está o ranking dos principais players do país (incluindo a porcentagem de seu market share), com base no Relatório Setores do E-commerce no Brasil:

Fonte: Conversion

A expansão dessa tendência está cada vez mais consolidada no dia a dia dos lojistas e dos consumidores. Ainda, segundo o relatório acima mencionado, nos primeiros meses de 2022 o comércio eletrônico teve um aumento de 2,8% no número  de acessos via aplicativos, e esses acessos somados aos sites, geraram cerca de 26,1 bilhões nos últimos 12 meses. Incrível, não é mesmo?

Para micro e pequenas empresas a grande vantagem do marketplace para e-commerce é o investimento inicial, pois o custo é reduzido e garante uma grande visibilidade no mercado.  A consequência desse aumento para a sua empresa será a maximização das vendas e o crescimento do negócio.

Dito isso, os marketplaces são uma grande oportunidade para os lojistas e para os consumidores, pois ao mesmo tempo que  apresentam o produto da sua empresa em uma loja já estabelecida no mercado, também dá aos envolvidos a vantagem de encontrarem uma maior variedade de produtos em um único lugar.

Como você viu neste artigo, há diversas vantagens de adequação desse tipo de negócio para a sua empresa. Portanto, para que você tenha mais vantagem competitiva, estude formas de implementação das diferentes estratégias e tecnologias disponíveis.

A Clicksign é a solução ideal para acelerar o crescimento do seu negócio! Se você deseja saber mais sobre como a Assinatura de Documentos Online pode revolucionar os seus processos, clique aqui e fale com um especialista.

Avalie esse conteúdo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.