Estamos contratando, veja nossas vagas.

Blog

Entenda a importância da Política de Segurança da Informação

Dois homens trabalhando juntos diante de um notebook
Business / Jurídico

Entenda a importância da Política de Segurança da Informação

A informação, tal como o conhecimento, é essencial para o desenvolvimento de um negócio, afinal, é necessário saber mais do caminho que você pretende traçar e documentar seus passos, clientes e ações do dia a dia. Dito isso, também é sabido que a tecnologia tem facilitado os meios de se ter informações sobre toda e qualquer coisa. E aí entra a sua dúvida, supomos: como saber se meus dados estão seguros naquela plataforma, com aquele escritório de advocacia, e até nos sites públicos?

Você sabia que existe uma política de segurança da informação e que, no geral, as empresas que funcionam em acordo com as normas de proteção de dados têm uma? A Clicksign quer te contar um pouco mais sobre, então, continue a leitura!

O que é política da informação e quais seus objetivos?

Podemos afirmar, tranquilamente, que você certamente já viu casos de invasão por hackers que invadem sites e vazam informações, certo? Tivemos casos conhecidos no país como o ataque cibernético ao Supremo Tribunal Federal em maio de 2021, e ainda, uma infecção por ransomware – um vírus malware que bloqueia o acesso a um sistema ou arquivo e que cobra resgate em criptomoedas para reestabelecer acesso, não vazar dados, não apagar, etc. – no site das Lojas Renner em agosto do mesmo ano.

Em ambos os casos, o fim da atuação dos hackers era um só: os ativos valiosos e privados que as empresas possuem em seu arquivo. Novamente você indaga: poderá ter sido um funcionário? Dificilmente, nós te respondemos.

Todos aqueles que trabalham para alguma organização pública ou privada têm normas a seguir, sendo que o acesso e transmissão de informações é altamente controlado. Tal determinação é realizada por meio de um documento assinado – digitalmente, de preferência – por todos os colaboradores. Este documento é uma diretriz organizacional acerca da proteção de ativos de informação submetido a todos os níveis hierárquicos para garantir a segurança das informações corporativas.

A Política de Segurança da Informação (PSI) não é um documento imutável, podendo seus padrões serem revisitados e atualizados em acordo com o cenário atual de cada empresa. Esse conjunto de padrões, normas e diretrizes estabelece princípios, compromissos, valores, requisitos e orientações a fim de mitigar riscos para os dados armazenados.

Principais objetivos da Política de Segurança da Informação

Além do mais, os objetivos da PSI são cristalinamente voltados aos três pilares da segurança, o CID:

  • confidencialidade;
  • integridade;
  • disponibilidade.

A confidencialidade diz respeito ao caráter da informações ao ponto que apenas quem tem o direito de acesso àqueles dados poderá utilizá-lo. Sabe a tal da receita da Coca-Cola? Confidencial!

A integridade representa a veracidade das informações de maneira que todos os dados corporativos tendem a ser confiáveis e íntegros para cada pessoa e caso. Já pensou em entrar no seu cadastro do INSS e seus dados estarem lançados com informações de outras pessoas? Da mesma forma que você se sentirá desprotegido, também estará o próximo. A empresa tem de organizar seu sistema de forma correta para que as informações sejam passadas com lisura.

A disponibilidade, por sua vez, diz respeito ao perdimento da informação: ela deverá estar disponível a quem dela precisar (dentro das normas de acesso de cada empresa). Se o sistema cair, você ainda terá os dados dos clientes? A resposta deverá sempre ser sim – trabalhe para isso.

Por que ela é tão importante?

A importância já consta nas entrelinhas do próprio nome: uma política de segurança de informação bem definida é essencial para resguardar a segurança informacional de uma empresa por meio de estratégias que visem sanar as vulnerabilidades do sistema operacional – humano e eletrônico – e ainda, indicar aos colaboradores o que deve ou não ser realizado com os dados que, em verdade, são os ativos mais valiosos de uma empresa.

A quem aplicar um documento de PSI?

Esse guia de “boas maneiras” tem algo parecido com o que você já leu em nosso blog, certo? Corretíssimo! A Lei Geral de Proteção de Dados também atua nessa frente de segurança informacional. Ademais, no caso da política de segurança da informação estamos falando de um documento corporativo de dados cedidos que já são protegidos por lei, mas que precisam ter uma mecanismo de segurança dentro da instituição.

Deste modo, um PSI deverá ser anuído por todos os colaboradores da empresa, independente do grau hierárquico. Não apenas a equipe de Tecnologia da Informação de uma empresa que deve se submeter a este controle, haja vista quem hoje em dia com a divisão de função e utilização massiva de tecnologia todos os dados informacionais acabam por ser compartilhados a quem precisa trabalhar com eles.

Práticas de PSI que a empresa deve utilizar

Tendo ciência do que é a política de segurança da informação e qual sua importância, é mister que você seja capaz de enxergar que o uso de direcionamentos nesse sentido é o que resguarda o futuro da segurança da informação e a atividade empresarial automatizada.

Aqui vão algumas dicas de conteúdo indispensável no documento de implantação de uma política de segurança informacional que deverão resultar em ações do dia a dia dos colaboradores:

  • considerar os usos de senha e acessos aos dispositivos corporativos: quem tem acesso, qual o acesso individualizado de cada um (por assinaturas digitais), controle de IP’s, etc;
  • estabelecer normas acerca do uso da internet em local de trabalho: dados não podem ser vazados sem querer, e para inibir isso indique aos colaboradores o uso de celulares e computadores para assuntos pessoais apenas em áreas de convivência em comum;
  • determinar regras sobre a instalação de softwares e aplicativos nos computadores: inibir a entrada de um malware indesejado por esses meios é super válido;
  • back up seguro e frequente (armazenamento seguro na nuvem, por exemplo).

Se a sua empresa ainda não possui uma documentação que evite situações de vulnerabilidade operacional, ela precisa disso para ontem! E mais, blindar dados é o que vai te diferenciar quando forem tratados temas como segurança na internet para desempatar um disputa por um cliente ou uma melhor colocação no mercado. Nós da Clicksign acreditamos na revolução digital, mas também sabemos que pessoas movimentam este mercado. Proteja-as!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *